O teste do pezinho

O exame é o primeiro passo para a qualidade de vida do seu bebê

ImagemBlog_TestePezinho

Para que o seu filho cresça saudável, o diagnóstico precoce de diversas doenças genéticas ou infecciosas é fundamental. Por isso, é muito importante que o teste do pezinho seja realizado logo após o nascimento do bebê. Assim, você vai poder garantir mais qualidade de vida à criança.

O teste do pezinho é capaz de identificar precocemente diversas doenças genéticas, metabólicas ou infecciosas que podem interferir no desenvolvimento do bebê. Por isso, é fundamental que ele seja realizado após o nascimento. O exame consiste na coleta de uma pequena amostra de sangue através da punção no calcanhar com lancetas automáticas, descartáveis e praticamente indolores para o recém-nascido.

O Cerpe realiza coleta domiciliar com hora marcada para o teste do pezinho. É mais conforto e segurança para você e seu bebê.

Saiba os diferenciais de fazer o teste do pezinho de seu filho aqui no Cerpe:

  • Análise de até 22 marcadores para investigação de mais de 50 doenças;
  • Amplo menu de exames confirmatórios;
  • Um dos melhores prazos;
  • Um dos perfis mais completos do mercado;

Para agendar o exame ou saber mais informações entre contato com a nossa central de atendimento ao cliente pelo telefone: (61)3416-9922 ou entre no site: www.cerpe.com.br.

A vitamina do Sol

A deficiência do nutriente pode desencadear doenças graves, veja quais as melhores formas de prevenção.

Cerpe_blog_700x240

A vitamina D é a única que pode ser absorvida por meio de exposição ao Sol, mas há outra alternativa, também eficiente, que é através de dietas alimentares.  Não é difícil de encontrar produtos como iogurte, leite, atum e cereais que tenham adição da vitamina na sua composição, o que facilita a absorção para quem não consegue seguir a indicação dos médicos de tomar Sol de 15 a 20 minutos todos os dias.

Atualmente, quase 60% da população brasileira sofre de insuficiência ou deficiência de Vitamina D. Um exame de sangue chamado VITAD25 indica se o paciente precisa ou não tomar certos cuidados, já que o baixo nível do nutriente no sangue pode desencadear uma série de doenças como fraqueza muscular, osteoporose, problemas cardiovasculares, baixa resistência, entre outras. Além disso a vitamina D é essencial para a manutenção do tecido ósseo e também influência no sistema imunológico. A falta do nutriente favorece mais de 10 tipos de câncer e até depressão.

Alguns sintomas perceptíveis que podem dar o sinal de alerta para a falta da vitamina D são: dor musculoesquelética, baixa resistências a infecções, dores nas articulações, fadiga excessiva sem explicação e fraqueza muscular. Já que a exposição solar é a forma mais fácil e rápida de absorção do nutriente, vale lembrar que o melhor horário para tomar Sol é a partir das 10 da manhã até às 3 da tarde, por 15 ou 20min, sem protetor solar e com braços e pernas expostos.

Ter o nível de vitamina D necessário fortalece os ossos, mantém os dentes saudáveis, protege o coração – já que a vitamina também controla as contrações do músculo cardíaco – e ainda previne possíveis abortos nos primeiros meses de gravidez, através da ação do nutriente no sistema imunológico da gestante. Fica o alerta também que a vitamina D não pode ser consumida em excesso, quantidade exagerada de alimentos com o nutriente pode prejudicar os rins, por conta do aumento da absorção de cálcio. Fique atento e consulte um médico de confiança para indicar qual meio mais adequado para absorção da vitamina.

Chocolate e benefícios para a saúde

Consumido com moderação, a guloseima pode ajudar na prevenção de doenças.

Cerpe_blog_700x240

Além de ser uma delícia, o chocolate também traz benefícios para a saúde – se consumido moderadamente, claro. Quanto mais cacau na fórmula, melhor para a sua saúde.

 

Confira os benefícios da guloseima:

 

  • Contra o câncer: pesquisadores americanos divulgaram que o chocolate pode ajudar a combater até mesmo o câncer de intestino. Algumas moléculas presentes no cacau – as prociadinas – possuem propriedades antioxidantes que podem proteger o órgão do tumor.
  • Só na alegria: a felicidade que você sente ao comer chocolate não é por acaso. O doce estimula a produção de dopamina e endorfina, substâncias relacionadas ao relaxamento e felicidade. As mesmas substâncias também promovem a sensação de alívio de dores – o que explica a alegria em comer um pedacinho durante a TPM!
  • No coração: cientistas acreditam que a versão amarga, rica em cacau, inibe uma enzima no organismo que eleva a pressão arterial. Isso acontece por causa dos antioxidantes encontrados na fruta, como catequinas e procianidinas. Além disso, pessoas que sobreviveram a ataques cardíacos e comem chocolate podem reduzir o risco de ter novos problemas, já que os mesmos antioxidantes nos protegem da ação dos radicais livres.
  • Vida ativa: cientistas concluíram que o leite com chocolate é a melhor bebida para se recuperar de atividades físicas, pela alta concentração de carboidratos e proteínas.

 

Lembre-se de consumir preferencialmente chocolates com baixo teor de açúcar e alta concentração de cacau.

 

Exames relacionados oferecidos pelo Cerpe:

  • Glicemia de jejum
  • Triglicerides
  • Teste de tolerância à lactose
  • Colesterol

 

Para mais informações sobre exames, ligue para nossa Central de Atendimento (81) 3416-9922 ou acesse nosso site: http://www.cerpe.com.br

 

 

12 horas de jejum?

Mitos e verdade dos exames laboratoriais

Cerpe_blog_700x240

Horas em jejum, fazer exames doente, tomar ou não tomar o remédio antes da coleta de sangue: conheça os mitos e verdade sobre os exames médicos:

 

Preciso ficar 12 horas em jejum para todos os exames?

Não, isso só é preciso em dois exames: o de glicemia e o de colesterol e triglicérides. Nestes casos, as 12 horas são necessárias pois é o tempo que demora para o organismo metabolizar a glicose e a gordura. Procure fazer esses exames pela manhã, assim boa parte do seu jejum terá passado enquanto você dorme.

 

Suspender medicamentos é recomendado?

O ideal é fazer o exame o mais longe possível da última dose, desta maneira, o remédio estará mais diluído no sangue. Em caso de exames com jejum, tome o medicamento apenas após a coleta do sangue. É importante perguntar ao médico se o remédio deve ser tomado normalmente ou não, pois em alguns casos, o exame é feito justamente para avaliar os efeitos do medicamento no corpo.

 

Estou doente, posso fazer o exame?

Caso você esteja doente, não é aconselhado fazer exames, contanto que o teste não esteja sendo feito para diagnosticar tal doença. Muitas vezes o organismo está lutando contra a doença, o que pode alterar alguns resultados. O ideal é esperar a recuperação e, então, marcar o exame novamente.

 

Exames de fezes e urina precisam ser feitos no laboratório?

Não, contanto que não seja o exame para diagnosticar uma infecção urinária. Neste caso, a urina deve ser fresca, pois o contato com o ar favorece a proliferação de bactérias. Em outros casos, você pode pedir o potinho e levá-lo para casa. Nos exames de urina, a amostra deve ser entregue até duas horas após a coleta. Já as fezes podem ser entregues até 24 horas depois de serem coletadas e precisam ser mantidas em refrigeração até a entrega no laboratório.

 

Para ter mais informações sobre o preparo necessário para cada tipo de exame, entre em contado com o nosso atendimento ao cliente: (81) 3416-9922

Dicas para um verão saudável

Fique atento aos riscos de contaminação e saiba quais são os cuidados necessários durante a estação

Cerpe_blog_700x240

Ao contrário do inverno, época em que tendemos a ingerir alimentos mais energéticos e que geram mais calor durante seu metabolismo, no verão recomenda-se a ingestão de refeições naturais e leves. Durante a estação, os dias são mais longos, as temperaturas se elevam e várias mudanças acontecem no meio ambiente. Para se adaptar a essa nova situação, as pessoas sofrem um aumento da transpiração para conseguir manter a temperatura corporal e, também, devido à maior exposição ao sol. Isso leva à perda de água e sais que, se não repostos adequadamente, pode levar à desidratação.

A primeira dica é a ingestão de alimentos em pequenas quantidades e várias vezes ao dia. No café da manhã e também no lanche da tarde recomenda-se a ingestão de frutas e sucos naturais. No almoço e no jantar, carnes grelhadas e vegetais. As saladas cruas são excelentes opções e devem, preferencialmente, ser temperadas com azeite, vinagre e limão. Importante lembrar que a maionese pode ser perigosa nessa época do ano, pois tem ovos crus, foco de contaminação de bactérias.

O cuidado com o preparo e a conservação dos alimentos, principalmente os vegetais e as carnes, também são ainda mais importantes no verão devido ao calor. É importante que sejam mantidos refrigerados e bem acondicionados em recipientes próprios, pois as altas temperaturas podem acelerar a degradação e favorecem a proliferação de bactérias e fungos. Para a lavagem adequada de frutas, legumes e verduras, usar água tratada ou fervida. Eles podem ser mantidos, durante uma hora, em uma mistura contendo água e algumas gotas de hipoclorito de sódio ou vinagre, com enxágue adequado depois.

Para evitar a desidratação deve-se tomar, no mínimo, dois litros de líquido por dia. É recomendada a ingestão de água e sucos naturais, que não dão a sensação de “barriga pesada” como acontece quando há o consumo de refrigerantes e outras bebidas gaseificadas.

Para ajudar a manter a pele saudável, é recomendável a ingestão de alimentos ricos em vitamina C, que têm propriedades antioxidantes. Eles estão principalmente presentes em frutas cítricas (acerola, kiwi, laranja, limão, maracujá e morango) e vegetais verde-escuros (agrião, brócolis, couve, espinafre, rúcula).

Dengue: riscos e cuidados durante a gravidez

Confira cuidados necessários para gestantes em caso de confirmação da doença

Cerpe_blog_700x240

Se a gravidez por si só já traz inúmeras dúvidas e preocupações à futura mãe, imagina quando ela é diagnosticada com dengue. Em meio ao surto da doença em todo o país, cresceram também os casos de gestantes infectadas pelo aedes aegypti. E as grávidas precisam redobrar os cuidados quando diagnosticadas com dengue.

A imunidade da gestante é naturalmente mais baixa, já que seu sistema imunológico sofre diversas modificações ao longo dos nove meses, e isso pode favorecer o desenvolvimento de complicações. Além disso, o diagnóstico pode ser retardado, já que em alguns casos é confundido com sintomas típicos da gestação, como perda sanguínea vaginal, que pode ser um sinal de evolução da dengue para o quadro hemorrágico.

Nos casos em que a dengue evolui para a forma hemorrágica, o número de plaquetas da gestante diminui, e os riscos de hemorragia aumentam. Esse quadro estimula deslocamentos placentários e hemorragias que, se não controlados, podem levar à interrupção da gravidez.

O início e o fim da gestação são os períodos que merecem maior atenção quando há confirmação da doença. Isso porque, nos primeiros três meses, os riscos de aborto são maiores do que quando comparado a gestantes não infectadas. Já no final da gravidez, a evolução para a forma hemorrágica é mais comum, além de haver riscos de parto prematuro.

 

Tratamento

O tratamento é sintomático, ou seja, algumas medicações podem ser administradas para aliviar os incômodos, mas elas devem ser indicadas pelo médico para evitar complicações. Além disso, a hidratação é fundamental, bem como o repouso. Os sintomas podem continuar por até dez dias, mas a recuperação total leva entre duas e quatro semanas.

É importante lembrar que, mesmo após a total recuperação, a prevenção contra a doença deve se manter nos meses seguintes da gestação. Isso porque, embora a gestante tenha ficado imune ao tipo de dengue que a pegou, ainda há outros três que podem infectá-la.

Para se prevenir, a grávida pode usar repelentes naturais, como a citronela, e os industrializados. A preferência é pelos produtos à base de dietiltoluamida (DEET), com concentração entre 10% e 50%. Eles são considerados seguros e, aliados à eliminação dos focos dos mosquitos, podem diminuir a exposição e riscos de infecção da doença.

Tenha acesso aos resultados dos seus exames sem sair de casa

Conheça mais sobre a facilidade que garante praticidade para quem não tem tempo a perder e é uma maneira segura de receber seus laudos

Cerpe_blog_Teste_pezinho

Para facilitar ainda mais o acesso de médicos e pacientes a resultados de exames, o Cerpe dispõe de um serviço online de resultados de exames em que você pode escolher imprimir seus diagnósticos ou guardá-los em seu computador.

O acesso à área de laudos é protegido por senha e cada resultado só é liberado ao paciente, que pode encaminhar seus resultados ao médico e evitar um deslocamento desnecessário até a unidade mais próxima. Economizar tempo é sempre uma boa ideia.

No site do laboratório, no canto superior direito, você insere o número do protocolo e a senha recebidos no momento em que você faz o exame. Na tela aparecerá a lista de resultados disponíveis, que você pode imprimir, arquivar ou enviar para o especialista responsável em questão de segundos.

Esse serviço garante praticidade para quem não tem tempo a perder e é uma maneira segura de receber seus laudos e iniciar tratamentos com a rapidez que sua saúde merece. Tudo a um clique de distância!